Nossos PROCEDIMENTOS

Artrodese da coluna lombar e cervical.

Microdiscectomia para Hérnia lombar com e sem instrumentação por técnicas minimamente invasivas.

Infiltração radicular e rizotomia de facetas para tratamento da dor na coluna.

Ressecção de tumores medulares e vertebrais.

Estimulador epidural de coluna ou crânio para tratamento da dor neuropática.

Colocação de bomba de morfina para tratamento da dor de difícil controle.

ESPECIALIDADES:

Hérnias de disco e dores nas costas
Hérnias, espondilolisteses, estenoses do canal lombar e cervical

Tumores e traumas na coluna

Tumores benignos, malignos e fraturas

Deformidades da coluna vertebral

Escoliose, cifoses patológicas e hemivértebra

Para mais informações

Anatomia da coluna vertebral

Compreender a anatomia e a função da coluna vertebral facilita o entendimento dos principais comprometimentos e patologias desse segmento corporal. A coluna vertebral estende-se do crânio até a pelve e pode ser dividida em cinco segmentos: cervical (7 vétebras), torácica (12 vértebras), lombar (5 vétebras), sacral (5 vétebras) e coccígeas (cerca de 4 vétebras). Entre as vértebras encontra-se o disco intervertebral, estrutura em forma de anel constituído por tecido cartilaginoso e elástico que funciona como amortecedor dos impactos e evita o atrito entre uma vértebra e outra.

Vista lateral (figura1), a coluna vertebral apresenta várias curvaturas fisiológicas (consideradas normais) que são:

 


- Cervical: convexa ventralmente - Lordose
- Torácica: côncava ventralmente - Cifose
- Lombar: convexa ventralmente - Lordose
- Sacral: côncava ventralmente- Cifose


Quando uma dessas curvatutras está aumentada

denominamos de Hipercifose (região torácica e sacral)

 ou Hiperlordose (região cervical e lombar).


Na vista anterior ou posterior a coluna não apresenta

curvaturas. Quando existe desvio da coluna nesse plano

chamamos de Escoliose.

Funções da Coluna Vertebral


Dentre as funções da coluna vertebral destacamos: proteção da medula e dos nervos espinhais, sustentação do peso corporal, importante na função da postura e locomoção, proporciona flexibilidade para o corpo e também é ponto de fixação para as costelas, cintura pélvica e músculos do dorso.   
Dor na Coluna Vertebral


Dor nas costas é um sintoma muito comum entre os indivíduos de várias faixas etárias, inclusive crianças e adolescentes, e pode ser prejudicial ou até incapacitante na execução das atividades de vida diárias (trabalho, esporte, lazer e cuidados pessoais). As limitações físicas podem comprometer as funções socias e emocionais (deixar de frequentar lugares e baixa auto-estima).


O quadro de dor na coluna vertebral pode ser agudo (surge repentinamente e pode permanecer até 8 semanas) ou crônico (dor que permanece por mais de 3 meses). Importante ressaltar que a dor nas costas pode ser multifatorial: queda, movimentos biomecanicamente errados, processos degenerativos decorrentes da idade, postura inadequada, patologias específicas da coluna (hérnia de disco, espondilolistese, fratura vertebral, tumores, deformidades da coluna entre outros).   

​Fatores de risco

  1. ​Idade: Dor nas costas é mais comum à medida que envelhecemos porque acentua o processo de degeneração dos tecidos envolvidos na coluna vertebral. O disco intervetebral perde a flexibilidade, elasticidade e capacidade de absorção de impactos.

  2. Sedentarismo: Causa desequilíbrio muscular (fraqueza e encurtamentos musculares) que desalinham e sobrecarregam as estruturas do corpo.

  3. Obesidade: Ganho de peso aumenta a sobrecarga no disco intervetebral e a inflamação crônica das células de gordura acelera o processo de degeneração do disco intervertebral.

  4. Doenças: Dentre as doençãs que podem ser causas de dor nas costas estão: trauma, artrite/artrose, tumores, deformidades ósseas ou fraturas espontâneas causadas pela osteoporose. O diabetes é importante contribuinte no envelhecimento dos discos intervertebrais pois diminui o fluxo sanguíneo para essas estruturas e aumenta a inflamação nos tecidos.

  5. Condições psicológicas. A depressão, ansiedade e estresse eleva o risco de desenvolver dores na coluna porque pode causar contraturas musculares e alterações do sono.

  6. Posturas inadequadas: Posturas inadequadas impôem sobrecargas aos músculos, ligamentos e discos intervertebrais que causam dor. As posturas relacionadas ao trabalho: permanecer muito tempo na mesma posição, movimentos repetitivos e movimentos de torção e inclinação para frente do tronco podem causar contraturas musculares e lesões nas estruturas da coluna vertebral.  

  7. Tabagismo: Isso pode impedir que seu corpo entregue nutrientes suficientes aos discos intervertebrais, estrutura entre as vértebras que tem a função de amortecer a carga imposta pelo próprio corpo.

 

Sinais de alerta para procurar um médico neurocirurgião especialista em coluna vertebral

  1. Dor na coluna cervical com irradiação para os braços ou dor na coluna lombar com irradiação para as pernas

  2. Dor na coluna cervical ou coluna lombar persistente ou de forte intensidade

  3. Dor intensa na coluna vertebral após queda ou traumatismo recente

  4. Dor na coluna lombar quando realiza o movimento de erguer a perna na posição deitado

  5. Dor na coluna lombar no movimento de girar a cintura ou o tronco

  6. Dor intensa na coluna que o desperta do sono à noite

  7. Dormência ou formigamento nos braços ou nas pernas

  8. Dificuldade ou dor para caminhar ou movimentar os braços e as pernas

 

Consulta Médica

Uma consulta de qualidade com médico neurocirurgião, especialista em coluna vertebral, é fundamental para estabelecer o diagnóstico correto e o melhor tratamento. 

A consulta médica consiste em:

- Anamnese: inclui várias perguntas como: dados pessoais, onde, quando, como e porque surgiu a dor, intensidade da dor, fatores que pioram ou melhoram a dor, medicações em uso, o que já realizou para melhorar a dor e doenças pre-existentes.

- Exame físico: inspeção (procurar por deformidades, alterações posturais, ferimentos, como realiza os movimentos do corpo), palpação (palpar locais dolorosos, contraturas) e testes especiais (exame neurológico específico para confirmar a doença).

- Exames de sangue e de imagens (RX, ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia entre outros): esses exames de imagens mostram os comprometimentos nos músculos, ligamentos, nervos, ossos e cartilagens articulares, bem como fatores no sangue que podem estar relacionados à doença em questão.      

  - Raio X. Estas imagens mostram o alinhamento de seus ossos e se você tem artrite ou ossos quebrados. Estas imagens por si só não mostrarão problemas com sua medula espinhal, músculos, nervos ou discos.

  • Ressonância Magnética ou tomografia computadorizada. Estes exames geram imagens que podem revelar hérnia de discos ou problemas com ossos, músculos, tecidos, tendões, nervos, ligamentos e vasos sanguíneos.

  • Densitometria óssea. Permite o diagnóstico de osteoporose.

  • Estudos da condução nervosa (eletroneuromiografia, ou ENMG). Este teste mede os impulsos elétricos produzidos pelos nervos e as respostas de seus músculos.  Pode estar alterado em algumas doenças específicas e permite o diagnóstico diferencial entre as doenças em caso de dor ou deficiência sensitiva ou motora.

  • Outros exames:  Serão solicitados de acordo com o julgamento clínico do médico neurocirurgião, especialista em coluna vertebral.

 

Tratamento das Doenças da Coluna Vertebral

Tratamento conservador: Fisioterapia,  medicações e mudanças no estilo de vida

A maioria dos pacientes apresentam melhora do quadro clínico com o tratamento conservador. Na fisioterapia os principais recursos disponíveis são terapias manuais (técnicas de liberação muscular, mobilização neural), calor, ultrassom, estimulação elétrica, Pilates e RPG. O tratamento medicamentoso é direcionado para a patologia específica do paciente, bem como a orientação do uso de coletes ou colares cervicais.

Tratamento Cirúrgico

​A indicação cirúrgica para as doenças da coluna vertebral é criteriosa e deve ser realizada por um médico especialista em coluna vertebral. Ela varia de acordo com o tipo de doença que o paciente apresenta: doença degenerativa da coluna (hérnia de disco lombar, cervical ou torácica, apenas envelhecimento do disco e dor relacionada, estenose ou estreitamento do canal lombar ou cervical), fratura da coluna, deformidades (escoliose do adolescente, infantil ou do adulto), tumores da coluna cervical, torácica ou lombossacra, doenças congênitas da coluna vertebral (a pessoa nasce com a doença e os sintomas desenvolvem-se ao longo do tempo), dentre outras.

A técnica cirúrgica a ser empregada depende tanto das condições clínicas, como dos exames de imagem, da doença do paciente e da habilidade do cirurgião com a técnica que será empregada para a doença em questão. Considerações específicas sobre cada técnica que pode ser empregada em cada doença serão realizadas no espaço destinado para elas dentro deste site.

 

Medicina alternativa

​Uma série de tratamentos alternativos podem aliviar os sintomas de dor nas costas. Sempre discuta os benefícios e riscos com seu médico antes de iniciar qualquer nova terapia alternativa.

​Acupuntura. Inserção de agulhas esterilizadas na pele em pontos específicos do corpo. Tem papel importante no tratamento conservador dos pacientes e efetividade comprovada por vários trabalhos na literatura médica.

Massagem. Se sua dor nas costas é causada por músculos tensos ou sobrecarregados, a massagem pode ajudar.

Yoga. Existem vários tipos de Yoga, uma disciplina ampla que envolve a prática de posturas ou posturas específicas, exercícios de respiração e técnicas de relaxamento. Yoga pode alongar e fortalecer os músculos e  consequentemente melhorar a postura e a dor.

Há outras alternativas para tratamento das doenças da coluna que fogem do escopo deste texto.

 

Prevenção

Você pode ser capaz de evitar a dor nas costas ou evitar a sua recorrência, melhorando a sua condição física.

 

Para manter suas costas saudáveis ​​e fortes:

  • Exercícios físicos: Atividades regulares de baixo impacto e atividade aeróbica podem aumentar a força e a resistência dos músculos em suas costas. É recomendado que não seja realizada atividade física sozinho, mas com orientação de um profissional habilitado e com correção adequada dos movimentos. Converse com seu médico sobre quais atividades são melhores para você. Exercícios de músculos abdominais e de fortalecimento da musculatura paravertebral ajudam a prevenir as contraturas e dores ocasionadas por desuso destas estruturas. Paralelamente, a avaliação adequada da flexibilidade é importante para direcionar os exercícios apropriados para condicionamento da musculatura dos membros e paravertebral. O médico, fisioterapeuta e educador físico devem dialogar para orientar os exercícios mais adequados para você.

  • Manter peso corporal saudável: Excesso de peso causa tensões nos músculos das costas pois a musculatura paravertebral sustenta o peso e o centro de gravidade do corpo. Mantenha acompanhamento nutricional e dieta adequada e equilibrada.

Reforço que o tratamento das doenças da coluna vertebral é multidisciplinar e deve ser orientado pelo médico especialista em coluna vertebral com formação adequada. 

 

Entenda sua doença

Dor Lombar Crônica

Sobre o que é este item? O que há de interessante nele? Escreva uma descrição cativante para chamar a atenção do seu público...

Entenda a Hérnia de Disco

A coluna é formada por um empilhado de ossos...

O que é Lombalgia

Lombalgia ou dor na região baixa das costas é um sintoma bastante comum. Algumas vezes, a dor...

Dor Cervical

A dor na região do pescoço chama-se cervicalgia e quando ela se irradia pelos braços...

Please reload

O que é a Escoliose

A escoliose é um encurvamento anormal da coluna vertebral. A escoliose pode causar danos...

Espondilolistese

Espondilolistese é o escorregamento entre duas vértebras na coluna. 

Cisto de Tarlov

Os cistos de Tarlov são bolsas de líquido cefalorraquidiano (liquido que envolve a medula e cérebro

Please reload

Localização:

R. Desembargador Eliseu Guilherme, 200

Cj. 601/603 - Edifício Paese Salsano - Paraíso - São Paulo  SP - CEP: 04004-030

Dr. Eloy Rusafa -  Todos os direitos reservados. © 2016