LOCALIZAÇÃO

R. Desembargador Eliseu Guilherme, 200

Cj. 601/603 - Edifício Paese Salsano 

Paraíso - São Paulo - SP

CEP: 04004-030

Dr. Eloy Rusafa -  Todos os direitos reservados. © 2016 

 

Vilões da Coluna

9 Dec 2016

 

Como já citei em outros posts e vídeos, a coluna concentra vários estresses do dia a dia, problemas psicológicos, e naturalmente, ao final de um dia sobrecarregado, às vezes, chegamos em casa com contraturas da musculatura, dor no pescoço, dor lombar, sendo necessário realizar um relaxamento, uma mensagem, etc.

 

Abaixo, você vai verificar como fatores ligados ao sono, estresse, hábitos de vida como o tabagismo, alimentação inadequada, postura inadequada, ausência de exercícios físicos, são responsáveis por grande parte dos casos de dor na coluna.

 

Esses assuntos já foram abordados em posts anteriores de forma mais ampla, por isso, caso se identifique com algum cenário abaixo, acesse os links ao final de cada item para acessar o conteúdo na íntegra.

 

 

Fatores Externos

 

A dor aguda, é aquela que ocorre com duração menor que 3 meses e a crônica, é a dor que persiste por um período maior que 3 meses, sendo a maior causa de incapacidade e prejuízo econômico por causar faltas ao trabalho e na última década, o crescimento da sua incidência tem sido exponencial.

 

O envelhecimento da população e fatores associados como o estresse, depressão e ansiedade, tem influência direta nesse aumento. A questão que se levanta mediante a tamanho problema é, qual o fator causador da dor? Para entender melhor sobre as causas da dor lombar, acesse o post Lombalgia: A maior causadora de incapacidade , lá você vai entender os tipos de dor lombar e suas origens.

 

Doenças Metabólicas

Dentre as doenças relacionadas ao metabolismo, que causam dor na coluna, a mais importante e mais comum, é o Diabetes, que frequentemente está associado ao excesso de peso e aumento da circunferência abdominal e a obesidade.

 

A deficiência de nutrientes associadas a ossificação também é bem comum entre as causas geradoras de dor, como cálcio, vitamina D, sendo importante também o tratamento da osteoporose em mulheres na menopausa, é fundamental para o melhoramento das dores nas costas.

 

Insônia

A insônia crônica leva a múltiplas alterações no indivíduo como dificuldades em memorizar, raciocínio lento, fadiga fácil, indisposição, irritabilidade, alterações hormonais, baixo rendimento escolar e no trabalho. Muitos pacientes com distúrbio do sono têm quadros psiquiátricos associados. Uma grande parte sofre de dores crônicas.

 

Um estudo feito na Noruega em 1974 com 10.000 pacientes, revela que pessoas com insônia são mais suscetíveis a dores crônicas e a frequência de dor crônica é maior em pacientes com insônia. Quase 70 % dos pacientes com dor crônica relatam despertar por dor. É imprescindível a abordagem do sono em pacientes com dor crônica e sabemos também que pacientes com dor crônica são mais ansiosos.

 

As queixas são muito variadas, desde dores cervicais, dores lombares, sensação de formigamento e agulhadas em extremidades, até dores difusas pelo corpo formando um verdadeiro espectro.

Saiba mais sobre distúrbios do sono e suas formas de tratamento no post DORES CRÔNICAS E DISTÚRBIOS DO SONO

 

 

Obesidade

Geralmente, a obesidade é acompanhada de inatividade física, enfraquecimento dos músculos do abdome e membros inferiores, além de diminuição da mobilidade. O encurtamento muscular indiscutivelmente leva a um quadro doloroso.

 

O trabalho publicado na revista científica Spine Journal em 2014 (Spine J. 2014 Feb 1;14(2):209-16), demonstra relação direta do índice de massa corpórea com a dor lombar, ou seja, quanto maior o índice de massa corpórea, maior a dor lombar. Entretanto, a atividade física nestes pacientes diminui a incidência da dor, principalmente em indivíduos acima da linha de sobrepeso.

No post Obesidade e Dores na Coluna , eu falo também sobre a relação de doenças como fibromialgia, dor em articulações e joelho e fatores mecânico relacionados a obesidade.

 

 

Cigarro

Diversos estudos médicos e científicos confirmam que o tabagismo é um forte fator de risco para dor lombar, ressaltando que os componentes presentes no cigarro aumentam o nível de circulação da carboxi-hemoglobina, substância que não carrega o oxigênio para os tecidos do corpo, fato que causa má nutrição do disco e induz sua degeneração. Acredita-se também que a doença vascular generalizada causada pelo tabagismo contribua para a este processo.

 

No post Cigarro, o vilão da coluna , eu falo sobre degeneração do disco causado pelo tabagismo. Confira!

 

Portanto, tanto para evitar como para tratar dores na coluna, é importante estabelecer um estilo de vida saudável, cuidando da alimentação, inserindo rotinas de exercícios físicos e criar bons hábitos do sono, vão fazer toda diferença!

 

Please reload

Veja mais:

Neurinoma do Acústico: Causas e Sintomas

19.04.2017

1/5
Please reload

Please reload

Categorias: